Puro Prazer!!!

05/08/2010 14:52

 

 

  
 

Orgasmos Múltiplos
CONHECER O PRÓPRIO CORPO:

As mulheres precisam se conhecerem melhor. Muitas não sabem nada sobre o próprio corpo, muito menos como conseguir um bom relacionamento com o homem. A maioria pensa que para um homem gostar dela, ou para sentir prazer, é preciso ter o corpo igual aos que aparecem nas revista masculinas. Resultado: já vai insegura para a relação, não se entrega.  

A DANÇA DO AMOR.Ter consciência do corpo e conhecer suas áreas mais tensas permite à mulher ser mais receptiva e ter mais prazer. A intenção é mostrar que não é só a zona genital que precisa ficar erotizada: o corpo inteiro deve participar do processo, da ponta dos pés à raiz dos cabelos. Também existem as danças étnicas, que inclui a dança do ventre: Uma mulher de poucos movimentos, tímida ou com vergonha do seu corpo enfrenta dificuldades de se relacionar com o homem. Dançar vai fazê-la se expressar, não só fisicamente, mas mexendo diretamente com a sensualidade.  

Aqui vão algumas técnicas que ajudam na obtenção do orgasmo e que podem ser realizadas por você em casa:  

a. Faça movimentos circulares com a bacia.  

b. Movimente a pélvis para frente e para trás.  

c. Deitada, bem relaxada, respire levando o ar para o baixo ventre. Sinta-o tomar espaço na região, liberando a tensão contida, que faz com que a sensibilidade fique bastante diminuída.  

d. Contraia a musculatura interna da vagina e do colo do útero. Tome consciência dessa região, porque é uma parte do corpo que não se vê. Em seguida relaxe.  

e. Deitada no chão, com os olhos fechados, movimente a bacia para cima, para baixo e para os lados, percebendo como o quadril se encaixa no solo.  

SAIBA TUDO SOBRE O ORGASMO

O que é ORGASMO? Orgasmo - do grego orgasmós, de orgân, que significa ferver de ardor - é definido como o mais alto grau de excitação sexual e, portanto, o prazer físico mais intenso que um ser humano pode experimentar. Ele provoca algumas reações como aumento dos batimentos cardíacos e da pressão arterial, pupilas dilatadas e, na mulher, os músculos do aparelho genital contraem-se ritmicamente. 

Quais os tipos? Segundo pesquisadores existem três tipos de orgasmo: clitoridiano, vaginal e múltiplo.  

O primeiro acontece quando o clitóris é estimulado. Trata-se de um órgão sexual externo, embora esteja localizado no interior da vulva (com formato de um Y) possui mais ou menos 10 centímetros de comprimento, mas apenas a sua ponta fica exposta). O clitóris é feio de tecido erétil que incha e se enche de sangue, tornando-se rígido quando excitado através do toque.  

O vaginal ocorre quando o ponto G (leia definição abaixo) é estimulado pelo pênis ou manualmente. A teoria é de que esse orgasmo é bem mais intenso que o clitoridiano. Nesse tipo, a mulher pode ter uma ejaculação. O fluido expelido é semelhante ao sêmem.  

Já os múltiplos correspondem à sucessão rápida de orgasmos, sem intervalos de repouso.  

Os orgasmos podem ocorrer no aparelho genital externo (clitóris, nos lábios e na entrada da vagina), dentro da vagina, no ponto G e, não muito freqüente, em várias partes do corpo. Os orgasmos múltiplos podem acontecer tanto na área externa quanto interna da vagina. A mulher pode alcançar até sete orgasmos seguidos.  

Qual a função do ORGASMO? Revitalizar e equilibrar os sistemas orgânicos, psíquicos, emocionais, afetivos e mentais. 

Quanto tempo dura? Os orgasmos variam de mulher para mulher, bem como a sua duração. Eles podem se resumir a apenas alguns segundos ou chegar até a um minuto.  

Toda mulher é capaz de ter ORGASMO? Sim, desde que não estejam sofrendo de alguma doença neurológica, endocrinológica ou ginecológica, que tenham destruído a base física do orgasmo. É fundamental não ter pressa. O casal tem que estar livre para o sexo, deixando as preocupações de lado. É importante também que o parceiro queira trocar sensações, emoções e muito prazer. Assim, a garantia será de momentos únicos e inesquecíveis para ambos. 

O que é ponto G? Trata-se da área na parede superior interna da vagina, sensível á pressão profunda. Em algumas mulheres, incha e leva a um orgasmo intenso quando estimulado. Há 40 anos, o ginecologista alemão Ernst Gräfenberg foi quem primeiro descreveu este ponto. Quando a região é estimulada, as mulheres geralmente experimentam uma sensação semelhante a uma necessidade urgente de urinar. Do tamanho de um grão de feijão, pode chegar ao tamanho de uma moeda de 50 centavos. Fica situado a cinco centímetros da entrada da vagina.  

Quais fatores podem levar a mulher a não ter ORGASMO? Fatores fisiológicos e psicológicos podem dificultar ou impedir o orgasmo. Vaginismo (contrações dolorosas involuntárias dos músculos vaginais), desequilíbrio hormonal, distúrbios do sistema nervoso, inflamações ou lesões genitais, uso excessivo de drogas e/ou álcool estão entre algumas causas. Além disso, problemas de origem emocional como ressentimentos, conflitos conjugais, medo, falta de atração sexual e/ou afetiva, timidez, culpa, medo da gravidez, preocupação em atingir o orgasmo, ausência de sentimento ou de amor também atrapalham a conquista do orgasmo. 

Qual a dica para se obter o ORGASMO? Para alcançar o orgasmo, é preciso que a mulher conheça o próprio corpo e o que ele deseja. Acabar com a vergonha e falar com o parceiro sobre suas preferências também é fundamental. Só assim a relação será completa e trará benefícios para ambos. 

DICAS PARA ATINGIR O ÁPICE DO PRAZER 

•Saiba como funciona o seu corpo. O que é a vulva, o clitóris, a vagina e, claro, o que acontece durante a relação sexual e como ocorre a excitação.  

•Toque seu corpo com privacidade e calma. Olhe-se no espelho e perceba os detalhes. Conversando com o seu parceiro, explique como gosta de ser tocada, onde deseja que ele coloque a mão ou a beije.  

•Cuide da beleza, da saúde, do corpo. Procure uma boa qualidade de vida. É difícil pensar em alguém que possa ter prazer com uma série de problemas, como falta de amor próprio, respeito e carinho. Isso já é uma parte do prazer.  

•Saiba que você não é a mulher da capa de revista, mas tem qualidades que podem fazer um homem se apaixonar.  

•Aprenda que o orgasmo não é o fim do prazer. Nós é que vivemos presos à idéia de que toda relação sexual tem que culminar com o orgasmo. É importante na própria relação e na afetividade ter o antes, o durante e, principalmente, o depois do orgasmo.  

•Mude a forma de encarar a sexualidade. Muitas mulheres se dedicam demais ao papel de mãe e não demonstram a sensualidade.  

•Só se atinge o orgasmo na hora em que se perde o controle da situação. A palavra-chave é entrega. Deixe-se levar pelo clima gostoso, pelo namoro. É uma possibilidade em potencial que todos têm, seja homem ou mulher.  
 

MULTI, POLI... FAZ DIFERENÇA?
Existem dois tipos de orgasmos múltiplos femininos: o multiorgasmo e o poliorgasmo. O primeiro em uma única fase de excitação ocorrem vários orgasmos seguidos, como ondas. Esse tipo de clímax depende de características inatas, que já são inerentes a pessoa ao nascer. Apenas algumas felizardas são premiadas com ele: cerca de 10%. da excitação torna-se descendente. 

Já no poliorgasmo um êxtase é emendado ao outro, mas tendo várias fases de excitação. É acessível a todas as mulheres e depende de características psicológicas e da excitação do casal. Fatores como intimidade, entrega e estímulos são os condutores da incrível jornada que é o orgasmo feminino. A ginecologista Sonia dá dicas: " Não são necessárias várias penetrações, mas outros estímulos, que podem ser sexuais,imaginários ou táteis, como sexo oral, anal, masturbação". 
 
 

Expressão facial, face avermelhada, vocalização e ereção dos mamilos durante o orgasmo. A pele e outras áreas ficam ruborizadas porque o hormônio adrenalina dilata os vasos superficiais do corpo;   
O coração se acelera para bombear mais sangue aos músculos;   
No cérebro, a atividade dos neurônios aumenta;   
Nos pumões, a respiração se torna rápida, para oxigenar o sangue, que circula mais depressa.  
 
Aparelho genital feminino durante estágio normal.
 
Aparelho genital feminino durante o orgasmo.
 
 
O orgasmo, também chamado de clímax, é um estado fisiológico de excitação sexual e gratificação, seguida por um relaxamento das tensões sexuais e dos músculos do corpo. É marcado por sentimento de repentino e intenso prazer. 

Os orgamos beneficiam as mulheres fisicamente e psicologicamente de muitas maneiras, além de aliviar cólicas menstruais e diminuição do stress. Muitos homens se importam profundamente se as parceiras alcaçam o clímax. Uma relação sexual que não satisfaça ambos, não satisfará o parceiro masculino emocionalmente, não importando quanto prazer físico ele consiga do ato em si.  

Para atingir o orgasmo, o sistema nervoso envia ordens ao coração para que os batimentos cardíacos se acelerem.  

A adrenalina, despejada pelas glândulas adrenais, é jogada no sangue e dilata as artérias, aumentando o fluxo sanguíneo nos músculos envolvidos nas atividades sexuais. Para uma melhor oxigenação do sangue, os pulmões aumentam o seu trabalho, e a respiração se torna curta e rápida. O suor aumenta, provavelmente para dissipar o calor acumulado do corpo. 

O orgasmo é marcado por:  

· um sentimento de intenso e repentino prazer;  
· um aumento repentino dos batimentos cardíacos e da pressão sanguínea;   
· os seios incham, e os mamilos se tornam eretos;   
· vasoconstrição generealizada;   
· o clitóris fica completamente retirado;   
· a vagina é lubrificada;   
· o útero se eleva;  
· ocorre espasmos dos músculos pélvicos causando contrações vaginais.   
· vocalização involuntária também pode acontecer.  

Técnica:
Para se alcançar o objetivo em questão, a maneira é fazer com que a mulher tenha o maior número de áreas sexuais estimuladas ao mesmo tempo. As áreas principais para a maioria é: boca, peito, anus, vagina, clitóris e bumbum. Como não existe regra, podem haver áreas diferentes para cada mulher, como os pés as mãos, a clavícula, o pescoço, a parte posterior do cotovelo e outras. Em um futuro será descrito como excitar essas áreas menos comuns. 
A posição: 
Existem duas posições principais nas quais foram conseguidos bons rendimentos: posição ginecológica, e de quatro. Uma outra alternativa é uma semi-cambalhota, mas essa é mais complicada. 
Boca: 
Beijo é fundamental, muito bem conhecido, não cabe a este texto ficar descrevendo uma forma de excitação tão bem difundida 
Peito: 
Outra forma de excitação bem conhecida, e uma das mais importantes. As melhores maneiras de excitação são: com os dedos em movimento circular em volta do bico, com os dedos no bico, comumente chamada de sintonia de rádio, e com o lábios, individualmente ou apertando os dois com a mão de forma a tentar chupar os dois ao mesmo tempo. 
Anus: 
Muito controvertido, geralmente adorado pelos homens, nem tanto pelas mulheres, é parte fundamental do processo. É muito recomendável que você conheça a pessoa, e faça uma higienização antes dessa fase, depois disso, não há muito problema. Abaixo algumas maneiras de excitação anal: 
? Beijo, beijar a entrada do anus causa excelentes resultados 

Introduzir a língua, tão eficaz ou melhor que o primeiro item. Deve-se penetrar com a língua o mais fundo possível, para isso, a melhor posição é a de quatro com o peito abaixado, formando um triângulo. 

Introduzir o dedo, introduzir um dedo, ou mais de um ser for o caso, preferencialmente lubrificado, causa boas sensações, a parte mais sensível é a superior, logo abaixo da vagina, mais ou menos a 3 ou 4 cm do anus. Procure massagear de formas variadas, em círculos, vibrando, pressionando e tente descobrir qual a que fornece melhores resultados. 

  
Penetração: Outra forma apreciada e detestada é a penetração anal, também bastante conhecida, todavia, não se aplica bem a técnica abordada. 

 Vagina: 
Parte fundamental da técnica, todavia, não tão bem explorada, como deveria ser. Abaixo algumas sugestões: 
Língua: Passar a língua na porta da vagina inicialmente para um pré-aquecimento, e só depois disso colocá-la bem fundo na vagina. Procure de preferência excitar as parte superiores, o mais próximo do Ponto G, que fica na metade do caminho entre a entrada e o colo do útero. Movimente a língua ao máximo, para cima e para baixo, de um lado para o outro e movimentos circulares. Depois de uma excitação vigorosa, pare por 10 segundos, isso vai parecer uma infinidade para a mulher, e vai deixá-la mais propensa a próxima excitação, depois do que retome o processo. Pode-se também intercalar uma penetração profunda com uma superficial, na porta. Distribua beijos por toda a área da vulva. Sugue os grandes e pequenos lábios. Sem dúvida a melhor posição para a penetração vaginal é a de quatro, segura-se a cintura da parceira, com a língua na entrada da vagina, e puxa-se contra o seu rosto com força. Um alternativa que também rende bons resultados é a posição ginecológica.  
Dedo: Tão excitante quanto a língua, para algumas até melhor, é a excitação da vagina através dos dedos, em condições normais, um ou dois. O número de dedos vai com o gosto da pessoa, mas, um dedo apenas é melhor para acariciar o ponto G, este, como foi dito, fica na metade do caminho entre a entrada da vagina e o colo do útero, na parte de cima logo abaixo da barriga, contudo, você só o vai identificar a diferença na textura da mucosa vaginal após uma boa excitação. Algumas pessoas sentem mais rugosas outras chegam a encontrar uma espécie de fio tensionado, caso o encontre, este é o melhor lugar para acariciar. O movimento ótimo para para ser feito é o movimento em forma de oito, com o centro do oito sobre o ponto G. Alterne movimentos de fricção forte e rápida, com suaves e lentas, mude para carinhos externos e depois para outros profundos chegando até o colo do útero.  
Clitóris: 
O clitóris é a parte decisiva da técnica, e existe uma infinidade de formas de excitá-lo. Serão descritas algumas aqui. 
Massagear o clitóris com um dedo, o polegar ou o indicador, de preferência lubrificado com saliva. Faça movimentos com delicadeza para não doer. Pode-se colocar o clitóris entre o dedo indicador e o maior de todos e fazer movimentos circulares, esta forma é complicada de se executar, mas também tem bons efeitos.  
Beijar o clitóris, levemente, fortemente, ou alternando, são excelentes maneiras de aquecer uma mulher. 
Passar a língua: das formas de acariciar o clitóris esta é a mais diversificada. Um dos movimentos de maior sucesso é o que se faz em forma de oito, com o centro do oito sobre o centro clitoriano. Outra forma é o de cima para baixo, e de um lado para o outro. Procure sempre atingir o clitóris pela parte de baixo dele, levantando a pele que o recobre com o auxílio suave das mãos ou dos lábios, esse ponto é o de maior sensibilidade, e provoca efeitos mais rápidos. Outra abordagem é começar os trabalhos com o clitóris fazendo um mínimo toque com a língua ou com os lábios, quanto menor melhor, e a partir daí, aumentar progressivamente. Apertar entre os lábios e chupar-los também causa um bom efeito. Varie sempre a velocidade e intensidade dos movimentos, até achar a forma adequada. 

 
Cerca de 60% das mulheres são capazes de atingir orgasmos múltiplos e não se tem nenhuma garantia de que ocorrerão em determinada relação sexual. A cobrança costuma dificultar. 

O ponto G é uma zona situada na parte anterior da vagina, junto à entrada, através da qual se podem sentir os canais e a zona esponjosa que envolve a uretra feminina, canal por onde sai a urina (ver figura na secção Órgãos Genitais Femininos Externos).  
É uma zona que se pode sentir (dentro da vagina, na região mencionada) quando a mulher fica excitada sexualmente, uma vez que fica tumefacta e muito sensível aos estímulos, podendo levar mais facilmente ao orgasmo ou mesmo a orgasmos múltiplos. A melhor maneira de estimular esta zona é manualmente (com os dedos), embora a penetração também o possa fazer. O tipo de orgasmo é sentido de uma maneira algo diferente (por vezes mais intenso) do que o provocado pela estimulação do clitóris, uma vez que segue um trajecto nervoso diferente. Mas atenção: nem todas as mulheres têm esse tipo de sensibilidade pelo que não é de aconselhar o exagero de "manobras exploratórias" a fim de encontrar o "G spot".